Angiologia – Conhecendo a Especialidade

Angiologia – Conhecendo a Especialidade

Angiologia – Conhecendo a Especialidade

Angiologia – Conhecendo a Especialidade

Quando se fala de tratamento de varizes ou outras queixas relacionadas ao sistema circulatório uma das primeiras dúvidas é a qual profissional médico devemos procurar. A especialidade que busca prevenir, diagnosticar e tratar essas alterações é a Cirurgia Vascular/Angiologia.

O Cirurgião Vascular é o médico responsável pelas alterações que acometem os sistemas arterial, venoso e linfático. Ainda que a maioria da população associe apenas ao tratamento de varizes e vasinhos, o campo de atuação desse profissional é bastante amplo, estando apto a tratar clinicamente das doenças vasculares não cirúrgicas e cirúrgicas. O Angiologista é o médico responsável pelas doenças clínicas vasculares que não necessitam de cirurgia. Contudo, na prática é muito difícil separar uma especialidade da outra, uma vez que o Cirurgião Vascular também está apto a tratar clinicamente, ou seja, sem cirurgia.

Quando se fala do sistema arterial, refere-se à nutrição e aporte sanguíneo, ou seja, a chegada do sangue na maior parte dos tecidos. Quando o volume do sangue que flui para os tecidos através dos vasos capilares é ineficaz, o fluxo sanguíneo para uma determinada região do corpo torna-se insuficiente, podendo prejudicar o abastecimento de nutrientes para as células dessa região.

angiologia

A parte linfática trata principalmente os linfedemas, que são edemas causados por alteração nos vasos linfáticos. Esses vasos são uma parte da circulação responsável pela captação da linfa, um líquido que fica dentro dos tecidos. Quando a linfa se acumula nos tecidos moles do corpo, habitualmente braços e pernas, formam-se os linfedemas.

Já as patologias venosas, aquelas relacionadas ao regresso do sangue ao coração, são as mais comuns, tais como varizes, trombose venosa profunda (TVP), tromboflebites em geral.

De forma mais clara, quando falamos de circulação, na verdade estamos abordando tanto a questão do aporte sanguíneo, desempenhado pelo sistema arterial, quanto do retorno do sangue ao coração, papel do sistema venoso. Então existe uma confusão quando se fala de problemas circulatórios relacionados às pernas, como se arterial e venoso fossem a mesma coisa.

A doença arterial está mais associada com tabagismo, hipertensão arterial sistêmica, diabetes, colesterol alto e idade avançada. Os sintomas podem iniciar com quadro de dor nos membros, principalmente na região das panturrilhas, ao caminhar distâncias maiores, muitas vezes sendo necessário parar a caminhada para alívio. A esse sintoma denominamos claudicação que pode evoluir com dor nas pernas mesmo em repouso e até o surgimento de feridas espontaneamente.

Os sintomas da insuficiência venosa seriam de dor, sensação de peso, cansaço nas pernas mais importante ao fim do dia, queimação. Normalmente esse paciente acorda sem muitas queixas porque passou a noite inteira com a perna para cima, facilitando o retorno venoso, logo, normalmente não há inchaço, e ao longo do dia, à medida que ele fica muito tempo em pé ou sentado os sintomas começam a aparecer, sendo a elevação das pernas de grande alívio. Nos casos mais sintomáticos, pode-se lançar mão de medidas físicas que ajudam muito, como o uso da meia elástica compressiva, associação com medicações sintomáticas e evitar ficar longos períodos em pé parado ou sentado, tentando a cada 1 hora fazer uma pequena caminhada. 

As alterações circulatórias vão muito além de um problema estético e é por isso que a avaliação correta por um Angiologista ou Cirurgião Vascular capacitado irá influenciar na prevenção, diagnóstico adequado e bons resultados dos tratamentos.

Quando se fala de tratamento de varizes ou outras queixas relacionadas ao sistema circulatório uma das primeiras dúvidas é a qual profissional médico devemos procurar. A especialidade que busca prevenir, diagnosticar e tratar essas alterações é a Cirurgia Vascular/Angiologia.

angiologia

O Cirurgião Vascular é o médico responsável pelas alterações que acometem os sistemas arterial, venoso e linfático. Ainda que a maioria da população associe apenas ao tratamento de varizes e vasinhos, o campo de atuação desse profissional é bastante amplo, estando apto a tratar clinicamente das doenças vasculares não cirúrgicas e cirúrgicas. O Angiologista é o médico responsável pelas doenças clínicas vasculares que não necessitam de cirurgia. Contudo, na prática é muito difícil separar uma especialidade da outra, uma vez que o Cirurgião Vascular também está apto a tratar clinicamente, ou seja, sem cirurgia.

Quando se fala do sistema arterial, refere-se à nutrição e aporte sanguíneo, ou seja, a chegada do sangue na maior parte dos tecidos. Quando o volume do sangue que flui para os tecidos através dos vasos capilares é ineficaz, o fluxo sanguíneo para uma determinada região do corpo torna-se insuficiente, podendo prejudicar o abastecimento de nutrientes para as células dessa região.

A parte linfática trata principalmente os linfedemas, que são edemas causados por alteração nos vasos linfáticos. Esses vasos são uma parte da circulação responsável pela captação da linfa, um líquido que fica dentro dos tecidos. Quando a linfa se acumula nos tecidos moles do corpo, habitualmente braços e pernas, formam-se os linfedemas.

Já as patologias venosas, aquelas relacionadas ao regresso do sangue ao coração, são as mais comuns, tais como varizes, trombose venosa profunda (TVP), tromboflebites em geral.

De forma mais clara, quando falamos de circulação, na verdade estamos abordando tanto a questão do aporte sanguíneo, desempenhado pelo sistema arterial, quanto do retorno do sangue ao coração, papel do sistema venoso. Então existe uma confusão quando se fala de problemas circulatórios relacionados às pernas, como se arterial e venoso fossem a mesma coisa.

A doença arterial está mais associada com tabagismo, hipertensão arterial sistêmica, diabetes, colesterol alto e idade avançada. Os sintomas podem iniciar com quadro de dor nos membros, principalmente na região das panturrilhas, ao caminhar distâncias maiores, muitas vezes sendo necessário parar a caminhada para alívio. A esse sintoma denominamos claudicação que pode evoluir com dor nas pernas mesmo em repouso e até o surgimento de feridas espontaneamente.

Os sintomas da insuficiência venosa seriam de dor, sensação de peso, cansaço nas pernas mais importante ao fim do dia, queimação. Normalmente esse paciente acorda sem muitas queixas porque passou a noite inteira com a perna para cima, facilitando o retorno venoso, logo, normalmente não há inchaço, e ao longo do dia, à medida que ele fica muito tempo em pé ou sentado os sintomas começam a aparecer, sendo a elevação das pernas de grande alívio. Nos casos mais sintomáticos, pode-se lançar mão de medidas físicas que ajudam muito, como o uso da meia elástica compressiva, associação com medicações sintomáticas e evitar ficar longos períodos em pé parado ou sentado, tentando a cada 1 hora fazer uma pequena caminhada. 

As alterações circulatórias vão muito além de um problema estético e é por isso que a avaliação correta por um Angiologista ou Cirurgião Vascular capacitado irá influenciar na prevenção, diagnóstico adequado e bons resultados dos tratamentos.

Destaques